Retrato do meu Coração – Patricia Cabot (Meg Cabot)

“No passado, a desengonçada Maggie Herbert vivia às turras com os meninos, entre os quais o futuro duque de Rawlings, mas tudo se resumia a provocações e brigas. Agora adultos, eles se reencontram. Porém tudo parece conspirar contra a paixão recém-descoberta. Será que os jovens conseguirão vencer preconceitos – dos outros e os próprios – em nome do amor?”

Já começo essa resenha com uma explicação: a escritora Patricia Cabot não é parente da Meg Cabot, e sim a própria! Seus primeiros livros (que são romances históricos para o público adulto) foram lançados sob este pseudônimo.

Eu nunca tinha lido nada do gênero, então quando esse livro caiu na minha mão pensei logo: “Por que não? É Meg Cabot, minha autora favorita, ruim eu não vou achar”. E bom, eu tinha razão.

“Retrato do meu Coração” é dividido em duas partes. Na primeira conhecemos os personagens que formarão o casal principal, Jeremy e Maggie. Os dois, apesar da diferença de idade de 5 anos, sempre foram amigos e brincaram juntos. Então Jeremy, futuro duque de Rawlings, foi embora da cidade. E aí começa o livro, contanto sua volta depois de 5 anos e de ser expulso de Oxford. Ele, agora com 21 anos, encontra com Maggie, agora com 16, e não acredita que ela é a mesma menina desengonçada que ele conhecia. É lógico que por achá-la atraente, e acostumado a ter toda e qualquer mulher que queira, logo investe na protagonista, o que dá meio certo.

Após esse dia, passam-se cinco anos e começa a parte II. Agora estamos em 1876 e Jerry passou os últimos anos lutando pela Inglaterra na Índia, enquanto Maggie foi fazer um curso de arte em Paris e hoje é pintora (e foi deserdada pelo pai por seguir essa carreira). É claro que os seus caminhos se cruzarão novamente e é aí que a história realmente começa.

Como disse, nunca tinha lido um romance histórico antes. No geral, achei uma boa história de romance, mas estranhei um pouco certas falas como, por exemplo, o pai de Maggie achar que uma mulher não pode ser pintora e que seu único objetivo é servir bem ao marido e gerar filhos. Eu sei que naquela época era considerado algo normal, mas eu estranhei um pouco. Mesmo assim, gostei de ler algumas cenas onde mostra as diferenças entre o nosso ano e o deles, me diverti (quando não era nada absurdo assim). E, mais ainda, de ter uma personagem que, mesmo com a família contra, segue seu sonho.

A única coisa que me incomodou mesmo foi o fato de achar a Parte I muito pequena. Foi difícil conhecer e gostar dos personagens logo de cara, achei que a Meg correu um pouquinho e não os apresentou direito. Depois que terminei a leitura, fiquei sabendo que este livro é, na verdade, a continuação de outro, chamado “A Rosa do Inverno”, no qual é contada a história de Edward e Pegeen, os tios de Jerry. Talvez se tivesse lido o anterior teria me sentido mais próxima dos personagens logo de cara, não sei. Mas depois, quando chegamos a Parte II e a história fica mais interessante, já comecei a gostar mais deles e torcer pelo casal.

No geral, eu recomendo para quem já gosta do gênero ou quer tentar ler um romance histórico pela primeira vez. Neste caso, talvez seja bom ler o livro anterior antes. E caso não goste, não desista! Eu, por exemplo, já tenho outro romance histórico, também da Meg Cabot, para ler! 😉

Nota: ©©©©


ISBN 9788501093370 | Editora Record | Páginas 377 | Título original Portrait of my heart | Autora Patricia Cabot

Você já conhecia este livro? Gosta do gênero? Tem alguma recomendação? Me conta nos comentários!

Mais sobreDanielle

Carioca apaixonada por brigadeiro e batata-frita. Não necessariamente nessa ordem.

0 pensamentos sobre “Retrato do meu Coração – Patricia Cabot (Meg Cabot)

  1. Nay*

    Deve ser bem diferente ver essa autora escrevendo algo de época, mas curti a sua resenha!

    Responder

  2. PackValle do Brasil

    Gostei da resenha, mas achei que a história deve ser muito calma, costumo optar por mistérios.
    http://www.charme-se.com/

    Responder

  3. Juliana Calió

    Eu achei que nunca gostaria de livros de romances, porque não costumo gostar muito de filmes do gênero. Mas quando li meu primeiro romance histórico ("O duque e eu"), fiquei apaixonada. Ainda não li muitos do gênero, mas acho que me atraem mais que romances contemporâneos (apesar de poder estar enganada).
    Também fico incomodada com essa diferença de tratamento que as mulheres recebem, mas tento entender que era uma época diferente, com outros costumes e culturas. Mas mesmo assim é meio difícil.

    Fiquei interessada por esse livro, nunca li nada da autora. Mais um livro pra minha lista infinita hahaha

    Beijos!

    Responder

  4. Kathleen Yasmin

    Ahhh eu sempre quis ler um dos romances que a Meg escreveu e publicou com o pseudônimo dela, mas ainda não tive a oportunidade :/
    Mas, esse parece ser bem legal, entendo isso que você falou sobre estranhar e etc, mas acho que isso só conta positivo pra Meg, mostrando que ela realmente ambientou toda a história.
    Enfim, espero poder ler um livro de romance histórico dela em breve, já que amoooo a escrita dela <3 <3
    Beijoss
    http://www.vidaemmarte.com.br

    Responder

  5. Ana Claudia P. Lima

    Só pela protagonista em 1800 e alguma coisa largar tudo para ser pintora já me fez querer ler.
    Girl Power total!
    🙂

    Responder

  6. Ana Gomes

    Estou muito interessada por tentar ler livros mais diferentes. Entrei até em um desafio literário. Isso porque geralmente eu sempre leio os mesmos tipos de livros. Que são coisas mais leves, tipo os livros Rainbow! Que eu adoro. Mas sinceramente, quero mudar um pouco o meu tipo de leitura, estou um pouco cansada dos mesmos livros, e estou afim de mergulhar em águas profundas; HAHAHA Esse livro parece ser interessante por causa disso, a estranheza que temos com relação aos costumes da época. Tipo um pai deserdar a filha porque ela decidiu ser pintora. Uóóó né ? Mas isso fala muito mais sobre a personagem, que ela é decidida e forte para seguir em frente a carreira dela.

    Responder

  7. Camila Carvalho

    Amo histórias que tem divisões na linha do tempo.
    E não sabia sobre o pseudônimo da Meg, mas gostei de saber.
    Um beijo

    http://www.tecontopoesia.com

    Responder

  8. Danielle S.

    Sim, eu estranhei um pouco, porque estou acostumada com os livros YA dela, mas foi uma experiência bem interessante 🙂

    Responder

  9. Danielle S.

    Sim, é uma história bem "água com açúcar". Se você não gosta do gênero, provavelmente não vai se interessar!

    Responder

  10. Danielle S.

    Acredita que eu tenho todos os livros dessa série da Julia Quinn aqui em casa (porque minha mãe AMA o gênero), mas nunca me interessei em pegar para ler? Do jeito que você falou, parece que são realmente bons, vou tentar ler, para ver se me acostumo um pouco mais com romances históricos.
    Pois é, achei bem complicado durante a leitura aceitar esse tipo de tratamento, mas tenho que colocar na cabeça que é outra época e levar como ficção mesmo!
    Leia, você vai adorar! 😀

    Responder

  11. Danielle S.

    Concordo totalmente com você, assim a gente vê que o escritor é realmente capaz de transportar a gente para a época, ela ambientou MUITO bem!
    Existem vários livros históricos da Meg, o próximo que vou ler é o "Liberte Meu Coração", que, se você leu "O Diário da Princesa" sabe qual livro eu estou falando 🙂 Leia logo! 😀

    Responder

  12. Danielle S.

    Ela seguir seu sonho naquela época, indo contra tudo e todos, já mostra como ela é forte, não é mesmo? 🙂

    Responder

  13. Danielle S.

    Estou querendo muito entrar em um desafio literário, pelo mesmo motivo que você, hahaha! Ler esse livro foi minha primeira tentativa, estou tentando fugir dos mesmos autores de sempre (apesar deste ser Meg Cabot, hahaha) e procurar outros gêneros.
    Acho que você pode tentar ler Retrato do Meu Coração, é bem leve mas já é bem diferente de um YA, né? Depois me conta se leu e o que achou! 🙂

    Responder

  14. Danielle S.

    Eu também gosto, mas acho que a Meg poderia ter explorado um pouquinho mais a primeira parte, ficou tão pequena 🙁

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *