Buenos Aires – 3° dia – Cemitério da Recoleta, Buenos Aires Design e Restaurante El Sanjuanino

Uma das coisas que eu sempre falei para o meu namorado antes de viajar para Buenos Aires era: eu não vou visitar um cemitério! Hahaha. Mas como esse é um programa tem-que-fazer-senão-você-será-julgado, lá fomos nós rumo à Recoleta.

Claro que antes fizemos uma parada estratégica na famosa sorveteria Freddo, que fica em frente à entrada do cemitério. Do lado ainda tem uma loja da Havanna (assim como toda rua de Buenos Aires haha) e vários restaurantes.

O cemitério da Recoleta é ponto turístico por conta dos túmulos de personalidades famosas da Argentina que ali estão. Claro que a pessoa mais famosa dali tinha que ser ela: Evita Perón. Sim, as pessoas vão lá para ver o túmulo (super simples) da famosa Primeira Dama. Foi interessante, mas não repetiria. Principalmente depois de ler na Mundo Estranho desse mês uma história de que ele é assombrado!

Não só uma história, mas três: A história mais famosa é de uma mulher chamada Rufina Cambaceres, que foi enterrada viva em 1902. Quando a família descobriu que ela havia sido enterrada viva, o pai refez a cripta, com uma estátua de Rufina abrindo a porta. Diz-se que hoje ela vai de túmulo em túmulo checando se ninguém foi sepultado vivo como ela. Além disso, dizem que existe uma assombração de uma “dama de branco” e um vigia noturno que teria se matado lá.

Resumindo: visitar novamente o cemitério da Recoleta? Gracias, pero no!

Ao sairmos do cemitério, fomos procurar uma farmácia que eu tinha visto na internet que vende o famoso demaquilante da Bioderma. Claro que ela estava FECHADA! Foi depois que entendi que segunda-feira de Carnaval também é feriado por lá, portanto, muita coisa não abre ou só abre bem tarde!

La Botica Del Pilar: Tão perto e tão longe do meu Bioderma. 🙁

Recomendo se perder um pouquinho por aquele pedaço da Recoleta, pois ele é muito charmoso e bonito.

É um bairro muito agradável de se passear, gostei bastante!

Voltamos para perto do cemitério, onde está localizada uma praça com uma igreja famosa. Ali estava acontecendo a Feira da Recoleta. Parecia bem interessante, mas não olhamos nada. Ela acontece todo final de semana e, aparentemente, nos feriados também!

Passamos pelo local e fomos em direção ao Buenos Aires Design, um shopping onde todas as lojas são de… Design! Hahaha. A mais conhecida, pelo menos para mim, é a Morph (que já contei sobre). Essa é a maior loja da marca, então caso tenha se apaixonado após sua visita a Galerías Pacífico, saiba que ali existem milhares de outras coisas que não estão a venda em outras.

Entrada do Buenos Aires Design. Ao entrar por aqui, você já sai dentro da Morph. Crédito da foto.
A maior Morph <3

Depois do passeio, fomos comer as famosas empanadas do restaurante El Sanjuanino. Posso falar? Achei bem gostosa sim! Mas minha experiência não foi das melhores, por conta do local lotado e apertado! Conseguimos uma mesa no subsolo, e ela ainda ficava de frente para a lixeira. Sério, quando vagou outra mesa, trocamos correndo.

Quando saímos, meu namorado ainda viu que era possível pedir empanadas para a viagem e que elas eram mais baratas! Acho que teria gostado mais de levar algumas e fazer tipo um piquenique numa praça (para vocês entenderem o nível de incômodo que senti com o local que sentamos).

Subsolo do restaurante El Sanjuanino

Além disso, andando pela Santa Fe um dia, descobrimos a existência de uma filial em Palermo! É uma boa opção para tentar fugir das filas e lotação da filial mais famosa.

Mais sobreDanielle

Carioca apaixonada por brigadeiro e batata-frita. Não necessariamente nessa ordem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *